Verônica Coelho


COELHO, Verônica Maria de Gouveia. Casais interétnicos – filhos bilíngues? Representações como indícios de políticas de (não) transmissão da língua minoritária da família. Dissertação de Mestrado. Instituto de Estudos da Linguagem, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2009.

RESUMO:

A pesquisa retratada nesta dissertação investigou as representações, aqui entendidas como construções discursivas, de sujeitos bilíngues em contexto de casamento interétnico, de forma a descrever e discutir os modos como essas representações afetam a disposição da família para a transmissão da Língua Materna do Cônjuge Imigrante (LMCI). A pesquisa, de natureza qualitativa-interpretativista, elegeu como focos privilegiados de investigação as representações dos participantes acerca do bilinguismo familiar, de suas próprias identidades linguístico-culturais e das de seus cônjuges. O suporte teórico do trabalho adveio, principalmente, de autores do campo da Lingüística Aplicada em interface com as áreas da Linguística, Sociolinguística, Políticas Linguísticas e Estudos Culturais. O corpus analisado foi composto por registros gerados a partir de entrevistas semiestruturados nas quais se buscou delinear as histórias de vida dos sujeitos da pesquisa. Foram entrevistados 07 progenitores bilíngues residentes no Brasil (03 brasileiros e 04 estrangeiros) que, à época da geração dos registros, eram ou haviam sido casados com falantes de outras línguas que não as suas próprias línguas maternas. A análise dos dados revelou que, dentre outros, fatores como a) as atitudes (dos próprios cônjuges, de seus filhos, de parentes, de amigos, etc.) em relação às línguas e culturas em jogo na família; b) o grau de prestígio das línguas envolvidas; c) o grau de experiência prévia dos pais com ambientes plurilingues e multiculturais; d) o contexto sócio-histórico em que ocorreu a imigração e e) as relações de poder entre os cônjuges contribuíram para a transmissão, ou não, da LMCI aos filhos nas famílias em questão. É preciso ressaltar, no entanto, que nenhum dos fatores pode ser, isoladamente, considerado determinante das políticas linguísticas adotadas nessas famílias, uma vez que tais políticas só podem ser explicadas pela inter-relação entre diferentes fatores. A expectativa é que os resultados dessa pesquisa possam servir de subsídio para se pensar políticas familiares de incentivo à transmissão da língua de progenitores imigrantes, minoritária na família, a seus descendentes.

2 comentários

  1. Ola Verônica,

    tive acesso ao resumo da sua dissertação na biblioteca digital da UNICAMP e gostaria muito de ler sua pesquisa. Estou escrevendo um projeto para investigar as represetações de mulheres brasileiras imigrantes e acho que seu trabalho pode contribuir para a minha pesquisa.
    A biblioteca digital nao permite ver seu texto. Vc poderia disponibiliza-lo!! Obrigada.

    Curtir

O que você acha? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s