Escolas bilíngues ajudam no desenvolvimento dos alunos

Para especialista, crianças que estudam em escolas bilíngues têm mais facilidade na alfabetização. Veja os prós e contras dessa opção para escolher o melhor método de educação para seus filhos.

Por  | Yahoo! Brasil – seg, 6 de mai de 2013A idade ideal para matricular os filhos nas escolas bilíngues é no início da vida escolar.

Yahoo! Brasil – A idade ideal para matricular os filhos nas escolas bilíngues é no início da vida escolar.

Com a globalização, a intenção dos pais de preparar seus filhos, desde pequenos, para um ambiente multicultural aumentou. E isso se reflete no panorama educativo brasileiro. De acordo com a Organização das Escolas Bilíngues de São Paulo (OEBI) até o final de 2012 existiam 96 escolas bilíngues no Brasil, sendo 56 só no estado de São Paulo. Mas alfabetizar os pequenos em dois idiomas ainda causa muita ansiedade e receio nos pais. Quais são os benefícios, as dificuldades e os riscos de matricular seu filho em uma escola bilíngue? O investimento vale a pena?

O maior receio que o oftalmologista Ricardo Kanecadan, 52 anos, tinha era em relação ao aprendizado da língua portuguesa. “Coloquei meu filho na escola quando ele tinha 6 anos, para que aprendesse desde cedo. Mas 80% dos professores eram norte-americanos, então fiquei com medo de que ele não aprendesse o português direito. Mas não foi o caso, a escola conseguiu suprir tanto o inglês quanto o português e ele saiu com um currículo para cada língua”.

Esta não é uma preocupação só de Ricardo. A alfabetização é uma das questões mais pertinentes quando se fala em escolas bilíngues. Porém, para a especialista Selma Moura, ao contrário do que muitos pais temem, este duplo aprendizado é bastante positivo. “É curioso ver que até hoje tanta gente tem medo do bilinguismo ‘atrapalhar’ o desenvolvimento dos alunos, quando já se provou que ocorre o contrário: falar duas línguas traz benefícios cognitivos, sociais e econômicos”, afirma.

Uma pesquisa realizada na Universidade York em Toronto, no Canadá, corrobora a opinião de Selma. Segundo estudiosos, crianças bilíngues têm mais facilidade na alfabetização e se mostram mais atentas, pois, apesar da aprendizagem de dois idiomas ser mais lenta, as crianças compreendem mais profundamente a estrutura de cada um deles.

Mas qual a melhor idade para matricular as crianças nas escolas?

A pedagoga e diretora da escola Oak School International School, Cláudia Calmon, afirma que o momento ideal é no início da vida escolar. “Quando são pequenos, não tem nenhuma adaptação especial, é como em qualquer outra escola. A dificuldade deles é a mesma de uma escola monolíngue: o tempo de adaptação pra criar vínculos com o grupo e professor. Quando a criança é mais velha, tem mais dificuldade para entender o conteúdo, que é passado todo na segunda língua. Mas, com o tempo, todas conseguem acompanhar”, explica.

Cláudia acredita que a maior vantagem das escolas bilíngues é que nelas a segunda língua não é colocada como uma matéria a ser aprendida e sim como uma língua falada, utilizada na comunicação, e isso dá um sentido real a ela. “Com a língua dada desta forma, a criança de fato aprende, e não inicia o aprendizado através da Gramática, que é o que acontece normalmente. Quando você vivencia o idioma desde pequeno, no processo de alfabetização você aprende a ler e escrever de forma coesa, a língua é solidificada de outra forma”, argumenta.

Já a maior desvantagem é o preço: “As escolas bilíngues são caras então boa parte [dos alunos] abre mão dela no ensino fundamental I e II. Para os pais que têm dois filhos ou mais, o orçamento se torna inviável”.

É É preciso acompanhamento dos pais e professores durante todo período escolar.

Mamães e papais fiquem atentos:

É preciso cuidado e acompanhamento dos pais antes, durante e depois da escola, pois, às vezes, essa vivência pode causar um distanciamento da cultura local, tornando a criança uma estrangeira dentro do seu próprio país. Ricardo Kanecadan reconhece esta desvantagem: “um ponto negativo é que meu filho não tem muito [conhecimento] da cultura brasileira; o perfil dele é muito americano e a maior parte dos seus amigos são americanos”.

A respeito dessa questão, a pedagoga Selma Moura aconselha: “As escolas devem ter o cuidado de não hierarquizar as línguas nem as culturas a que elas se referem, valorizando a diversidade e fortalecendo a auto-estima das crianças. Por isso é preciso escolher escolas que se preocupem com a cidadania, a formação crítica dos alunos e a realidade local. Fortalecer a identidade cultural da criança, ao mesmo tempo em que lhe apresenta o mundo (que é maior que Estados Unidos e Europa), ajuda a formar o cidadão que fará diferença aqui”.

Share:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

2 thoughts on “Escolas bilíngues ajudam no desenvolvimento dos alunos

  1. Pingback: Famílias Bilíngues - English Podcast #65 - English Experts

  2. Lia Nascimento says:

    Selma, aqui é Lia, de Americana. Estou trabalhando em uma escola de Ed Infantil que se diz bilíngue, mas onde apenas eu falo inglês todos os dias com as crianças. Elas têm uma professora de Português ( que não fala inglês) e têm aulas comigo todos os dias, em inglês, durante 1h. O que você acha dessa abordagem?
    Um super abraço. Lia

Deixe uma resposta

On Key

Related Posts

Adeus 2020, bem vindo 2021!

Uau, que ano tivemos! Não conheço nenhum educador que não tenha sentido que viveu mais desafios no ano que terminou do que em muitos anos