Uma escola pública bilíngue no Rio de Janeiro


Colégio estadual formará alunos fluentes em francês. Secretaria planeja unidades profissionalizantes em gastronomia, arte e especializada em indústria automotiva

POR MARIA LUISA BARROS

Originalmente disponível em: http://odia.ig.com.br/portal/educacao/o-rio-vai-ganhar-uma-escola-pública-bil%C3%ADngue-1.431096 

Rio –  Escolas-modelo em tempo integral e ensino bilíngue, comparado ao dos melhores colégios particulares da cidade. Pela primeira vez, uma unidade da rede estadual do Rio oferecerá Ensino Médio integrado e em dois idiomas: francês e português. O novo método de aprendizagem, que terá professores em regime de dedicação exclusiva, será aplicado, no ano que vem, para estudantes da Escola Estadual Affonso Penna, no Andaraí, na Zona Norte. As inscrições serão abertas no fim do ano ou no início de 2013.

O modelo de Ensino Médio integrado, em parceria com empresas, que já é adotado em unidades como Nave e Nata, será estendido a pelo menos mais cinco escolas. Dependendo da unidade, alunos poderão optar por cursos de gastronomia, artes visuais, artes cênicas e automotivos.

No Nata, alunos se formam aptos para trabalhar em indústria alimentícia | Foto: Divulgação

No Nata, alunos se formam aptos para trabalhar em indústria alimentícia: modelo de sucesso na parceria do estado com empresas privadas | Foto: Divulgação

Segundo o secretário estadual de Educação, Wilson Risolia, as negociações com empresas já estão adiantadas. Um dos colégios funcionará como uma ‘fábrica de espetáculos’. A escola, que será desenvolvida em parceria com Carla Camurati, presidente da Fundação Theatro Municipal, será implantada na Região Portuária. Lá os alunos aprenderão profissões dos bastidores de uma produção cultural, como cenógrafo e figurinista.

No prédio do antigo Museu da Imagem e do Som (MIS), na Praça 15, no Centro, funcionará uma escola de Médio Integrado especializada em Artes Visuais. A Arca (Arte Culinária e Agricultura Sustentável) formará, em três anos, especialistas em culinária, bebidas, serviços e materiais usados na alimentação. A unidade ficará na Lapa. A última unidade deverá ser construída no Médio Paraíba em parceria com indústria automotiva.

A proposta é que elas repitam o bom desempenho da Nata, onde mais de 50 ex-alunos participam de seleção para o Grupo Pão de Açúcar, parceiro da secretaria no projeto. Ao longo do curso, todos fazem estágio no grupo.

‘É um ensino que fica impregnado’

A meta do Governo é implantar ensino profissionalizante em todas as escolas estaduais até 2023. Para o secretário, Wilson Risolia esse é o único caminho para atrair os jovens e mantê-los na escola.

1. O estado tem buscado parcerias com empresas, como fez no Nave, com a Oi. Qual a vantagem para a iniciativa privada?

— Você conhece esse aluno durante três anos, acompanha o desenvolvimento e quando ele ficar pronto, você contrata. O custo com o processo seletivo e de treinamento tende a zero.

2. Qual o sucesso de escolas como o Nata?

— É um ensino que fica impregnado no jovem. A família também participa porque são centros de referência.

3. Há muitas empresas interessadas?

— Tem algumas empresas, consulados e universidades. Estamos em processo de negociação.

4. Elas investem na futura mão de obra?

— A indústria precisa ter profissionais qualificados. Isso passa pela gestão escolar.

5. Como as famílias podem ajudar?

— Incentivando os filhos a estudar e fazer o Saerj. Ele concorre a viagens e bolsas na universidade Gama Filho.

O que você acha? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s