Histórias de Bilinguinhos – Manu

Manu

De como o venezuelaninho Manuel manteve seu Espanhol e aprendeu Português e Inglês, alfabetizando-se, aprendendo os conteúdos e se desenvolvendo plenamente.

Em 2007 Manuel, de 3 anos, e sua família vieram da Venezuela para o Brasil, e escolheram uma escola bilíngue Português-Inglês. Nos primeiros dias Manu, muito curioso e desinibido, comunicava-se com colegas e professoras em Espanhol, era compreendido na maioria das vezes, mas ouvia Inglês e Português. Em poucas semanas compreendeu a rotina de sua classe, e em alguns meses começou a incorporar palavras em Inglês em suas frases, que as vezes misturam 3 línguas.

Quando compreendeu que cada língua é um sistema próprio, começou a usar apenas Inglês e Português, recusando-se a falar Espanhol em casa. Preocupados, os pais procuraram a escola e uma reunião com a coordenadora, disseram que não queriam que Manu perdesse sua língua materna, e ouviram que essa busca é normal no processo de aquisição de línguas, em que a criança está focada nas novas línguas, e quer sentir-se parte do grupo, aceita pelos colegas e integrada. Combinaram de valorizar o Espanhol na escola também.

A professora, conhecedora do grupo e sensível as crianças dessa idade, fazia brincadeiras na roda de conversa. “Manu, olha, eu sei falar Espanhol, quer ver?Buenos dias!”, dizia, e ele olhava meio desconfiado. “Manu, como fala isso em Espanhol? Cachorro em Espanhol é ‘catchorro‘?  E ele ria e a corrigia, enquanto ela o parabenizava e dizia ao grupo: Viram? O Manu fala uma língua que nenhum de nós sabe, nem eu! Manu, ensina pra gente?”.

Manuel tem sorte de ter uma família amorosa, participativa, interessada e que o apóia. Presentes em eventos e reuniões, parceiros dos professores e das coordenadoras, integraram-se muito bem com as outras famílias, mantendo sua língua e cultura e aprendendo sobre o Brasil.

Nos quatro anos desde que chegou a escola, Manu aprendeu a falar, ler e escrever em Português e Inglês, faz capoeira, joga futebol, e é muito querido por todos seus colegas por sua personalidade alegre, amigável e espontânea. As meninas escrevem bilhetinhos de amor para ele, e os meninos estão sempre ao seu redor. As professoras o amam por seu carinho e espontaneidade, e ele, de fato, é um menininho especial. Conseguiu superar os desafios com muita tranquilidade e bom humor, e agora é trilíngue!

O apoio ao filho, o diálogo com a escola e a paciência com o processo de aprendizagem é o que de melhor a família de Manu podia fazer.   E sua mãe deixou dois depoimentos em comentários aqui no blog. Confira abaixo.

“Selma

Nós sempre vamos agradecer a Deus por ter conhecido voce na nossa procura de escola para o Manu. Hoje, após quase tres anos temos certeza que das 15 escolas pesquisadas encontramos os melhores educadores. Ficamos impressionados da forma como o Manuel aprendeu duas línguas além da própria sem trauma e sendo uma criança muito feliz. Não sei quanto mais ficaremos no Brasil mas enquanto estamos por estes lados sei e confio plenamente em voces para nos ajudarem com a tarefa de criar boas pessoas.

Muitíssimo obrigados sempre!

Leyda e Arturo, claro o Manu especialmente!” 

(Comentário feito em 04/09/2011)

“Selma, no caso do Manuel ele convive com três línguas todos os dias. Posso dizer que para ele eh muito tranquilo mudar de uma para outra, mesmo em casa com amigos e nos ajudar a fazer tradução eh coisa simples para ele. Hoje com 7 anos, acredito que ter essa experiência vai fazer dele uma pessoa com mais possibilidades em seu futuro. Claro que tem sotaque, o engraçado é que esse sotaque eh na língua materna, no Português até parece brasileiro. Beijos!”

(Comentário feito aqui no blog em 18/06/2011)

Você tem Histórias de Bilinguinhos para contar? Escreva-a nos comentários para entrarem no blog também!

Share:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on pinterest
Pinterest
Share on linkedin
LinkedIn

4 thoughts on “Histórias de Bilinguinhos – Manu

  1. Pingback: O que merece ser feito merece ser bem feito: pela qualidade na educação (bilíngue ou não) | Educação Bilíngue no Brasil

  2. Pingback: O que merece ser feito merece ser bem feito: pela qualidade na educação (bilíngue ou não) | Educação Bilíngue no Brasil

  3. Leyda Chacon says:

    Selma, adorei! obrigada por dividir a história do meu principe!. Nos que agradecemos todo o carinho e todo o suporte que voces nos deram e continuam nos dando! Fomos na Europa de férias e senti muito orgulho de ver ele se comunicando fluentemente em ingles! foi muito bom! Beijos!

Deixe uma resposta

Get The Latest Updates

Subscribe To Our Weekly Newsletter

No spam, notifications only about new products, updates.

Most Popular

Social Media

On Key

Related Posts