“O escândalo do livro que não existia”, de Luís Nassif


“Durante dias e dias o país inteiro discutiu uma miragem, um não-fato, algo que não existia. E na discussão se leu de tudo, analistas com julgamentos definitivos sobre a questão, acadêmicos soltando sentenças condenatórias, jornalistas atirando flechas na miragem. E tudo em cima de uma nuvem, uma sombra, um ectoplasma que nunca existiu.

Poucas vezes na história contemporânea se viu manifestação tão atrasada do que seja opinião pública latino-americana. Parecia mais um daqueles contos do realismo fantástico de um Garcia Marques, uma parábola familiar de Julio Cortazar.

Refiro-me a esse episódio sobre o suposto livro que ensinaria as crianças a ler a escrever errado.”

Trecho do post de Nassif em 25/05/11. Para continuar lendo no local original, clique aqui: http://www.advivo.com.br/blog/luisnassif/o-escandalo-do-livro-que-nao-existia

Pois é, a leitura da mídia foi equivocada, e concordo que inventaram um texto que não existia, porque não leram, não entenderam e criticaram. O problema é que o preconceito linguístico existe mesmo. E causa muitos danos à auto-estima de crianças, jovens e adultos que foram doutrinados para pensar que não falam português, quando são falantes nativos dessa língua, ou que sua língua e, por extensão, eles mesmos, é pior que a dos outros.

Selma

Anúncios

Siga-nos!

EBB nas redes sociais

Nenhum comentário ainda.

O que você acha? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: