Educação Bilíngue na Escola Pública


Será que só as classes médias, que conseguem parar mensalidade, querem que seus filhos aprendam uma língua adicional em programas de educação bilíngue no Brasil?

Confira a experiência de Pomerode, em Santa Catarina.

Salas bilingües português-alemão em Pomerode

Projeto piloto de salas bilingües português-alemão apresenta desempenho acima do esperado
(Originalmente disponível em http://www.belasantacatarina.com.br/noticias/2008/08/06/Salas-bilingues-portugues-alemao-em-Pomerode-3334.html)

Para os alunos do 1º ano do Ensino Fundamental da Escola Básica Municipal Olavo Bilac, em Pomerode, retornar à sala de aula e enfrentar o início do segundo semestre letivo é motivo de plena satisfação. Para eles, é hora de dar continuidade a um projeto único, cujo desempenho está se saindo acima do esperado. Desde abril, o grupo participa da primeira experiência de salas bilíngües português-alemão já aplicada na rede pública de ensino.

Os conteúdos ministrados diariamente vão de acordo com a proposta curricular do 1º ano, como em qualquer outra escola. A diferença é que as disciplinas, tais como Matemática, Ciências, História e Geografia, são trabalhadas nas duas línguas. Com a intervenção de uma professora regente, os alunos aprendem tanto na língua pátria quanto na língua dos imigrantes, em situações reais de fala, sob intenção de torná-los proeficientes nas mesmas.

Antes da implantação das salas-piloto em Pomerode, a Secretaria Municipal de Educação e Formação Empreendedora buscou referenciais de metodologia junto à escola Kinderland, de Curitiba, e escola Brums, de Porto Alegre. Assim, a grade curricular conta com 15 aulas em português, contra dez em alemão, tomando por base métodos de ensino aplicados com sucesso nestas e em outras escolas bilíngües de rede particular.

Em apenas dois meses de “laboratório”, os resultados do projeto já se apresentam bastante positivos. Segundo avaliação promovida pela própria Secretaria de Educação, os alunos que freqüentam as turmas bilíngües detêm o mesmo nível de desenvolvimento de escrita em relação aos estudantes de 1ª ano das outras escolas municipais. “As duas turmas atingiram a meta estabelecida para o primeiro semestre, portanto estamos garantindo a elas o direito de se alfabetizarem na Língua Portuguesa”, ressalta a Secretária de Educação, Neuzi Schotten.

Na cidade que tem o uso da língua alemã como uma constante nas relações do cotidiano, os pais apontam a interação com a família como um dos benefícios que o projeto já demonstra trazer às crianças. “Meu sogro está todo orgulhoso porque agora meu filho fala com ele em língua alemã”, retrata Tarcisio Mensor, pai de Andrei, de seis anos. Até mesmo nas casas em que só se falava em português, a história se repete. “O pequeno está ensinando a irmã maior a falar as palavras novas que aprendeu. É surpreendente porque, embora meu marido seja de ascendência alemã, ninguém falava em alemão lá em casa”, conta Siderlene Müller, orgulhosa mãe de Mateus, de seis anos.

Salas português-alemão são alternativa à perda da identidade lingüística

Nas escolas da rede municipal de Pomerode, os alunos das séries finais do Ensino Fundamental possuem aulas de alemão no currículo desde 1987. No ano de 2006, o ensino obrigatório da língua alemã se estendeu a todas as séries do Ensino Fundamental. No entanto, o tempo reservado para o aprendizado do alemão como língua estrangeira não garante a sua efetiva aprendizagem, segundo estudo apresentado pelo Instituto de Investigação e Desenvolvimento em Política Lingüística de Florianópolis.

Ano após ano, é notada na comunidade uma grande diminuição no número de jovens que falam a língua de modo fluente no dia-a-dia. “Trata-se de uma perda lingüística lamentável não só para a história do povo pomerodense, como também para a projeção do futuro profissional destes indivíduos”, analisa a educadora Ana Cristina Buettgen, coordenadora do projeto de salas bilíngües em Pomerode. A implantação das salas português-alemão surgiu então como uma alternativa para refrear a perda desta identidade lingüística entre a população.

A promoção do ensino bilíngüe no currículo escolar das escolas municipais era intenta pela Secretaria de Educação e pela Fundação Cultural de Pomerode já há alguns anos. Porém, em 2007, o governo municipal firmou os primeiros passos para a sua efetiva implantação. O prefeito Ércio Kriek levou ao conhecimento da equipe municipal de educação o projeto de salas bilíngües português-alemão existentes em Berlin, apresentadas pela educadora alemã Bárbara Beuthan durante o Encontro Brasil-Alemanha, realizado em Blumenau. Desde então, a iniciativa pomerodense foi tomando corpo e obtendo novas parcerias.

Para 2009, a Secretaria Municipal de Educação e Formação Empreendedora pretende manter a oferta de salas bilíngües às turmas de 1º ano da Escola Olavo Bilac, bem como prorrogar o ensino aos alunos que iniciaram o projeto neste ano. Uma terceira sala bilíngüe também deverá ser aberta em outra unidade escolar da rede municipal.

Mais informações:

Secretaria de Educação e Formação Empreendedora
Ana Cristina K. Buettgen – 3387-2612
semed@pomerode.sc.gov.br

O que você acha? Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s